• WEE

Cápsulas WEE - Leonora Carrington


aneis em prata com turmalina, safira e rubi

Com forte personalidade desde a infância, a artista teve grande parte de sua educação através de babás e governantas, pois os colégios tradicionais não aceitavam seu "comportamento rebelde". Foi durante a adolescência que Leonora teve contato com o mundo artístico, estudando em colégios em Florença, Paris e Londres.


Com apenas 20 anos conheceu Max Ernst, com quem foi morar no sul da França e passou a desenvolver seu trabalho na pintura e nas artes plásticas. Com essa mesma idade, entre os anos de 1937 e 1938, pintou seu auto retrato conhecido como "Inn of the Dawn Horse", obra que faz parte do acervo permanente do Metropolitan Museum of Art em Nova Iorque.


Leonora sofreu com crises de pânico e ansiedade após fugir para a Espanha durante a Segunda Guerra Mundial, quando Max foi preso pelos franceses e posteriormente pelos alemães, por ter sua obra considerada subversiva. Essas crises psicológicas culminaram com sua internação em um hospital psiquiátrico, onde sofreu diversos procedimentos relatados anos depois em obras de literatura, nos quais Leonora descreve diversas de suas experiências pessoais junto a ficções e histórias relacionadas ao seu trabalho surrealista.


Após receber alta do hospital e viajar para Portugal com uma cuidadora contratada pela família, Leonora foge para Cidade do México junto ao poeta Renato Leduc, com quem ficou brevemente casada. Foi no México que a artista integrou o Movimento pela Liberdade das Mulheres e engajou-se bravamente na luta pelos direitos de cada mulher ter liberdade de escolha.


Como artista que buscou seus próprios ideais e desafiou a família para seguir com sua carreira, Leonora sempre reforçou que a feminilidade retratada em sua obra não idealizava sentimentos ou formas de se olhar a mulher através da psicanálise, como era feito por muitos de seus colegas surrealistas. Na verdade, a artista imprimia suas próprias experiências, principalmente no campo da sexualidade e retratava dualidades enfrentadas pelas mulheres de sua época.


Temas mitológicos fascinavam Leonora, que retratava em suas pinturas criaturas mágicas, híbridas. Os cavalos alados eram recorrentes em sua obra e muitas vezes apareciam em seus auto retratos. A artista declarou que cavalos encantavam sua mente por estarem tão relacionados com a liberdade.


Seu quadro "Juggler" foi leiloado em 2005 como a obra surrealista mais cara já comercializada durante a vida de seu autor. Em Maio de 2011 Leonora, ainda morando na Cidade do México, faleceu aos 94 anos deixando um legado inspirador para as artes e pela plena liberdade das mulheres.




Talita

#weethings