• WEE


Ao longo dos anos, tenho colecionado fotos de detalhes que me encantam por aí. Como uma forma de eternizar esse sentimento de plena satisfação e paz quando os vejo. Claro que essas fotos são também uma biblioteca de inspirações, de referências e sensações para revisitarmos de vez em quando.


Esses detalhes muitas vezes me chamam atenção pelo seu próprio desenho e solução, mas também pelas composições de texturas que me fazem parar e admirar.


Viajar, andar pelas ruas ou visitar lugares são sempre uma oportunidade para alimentar essa minha pastinha, que tem andado desabastecida desde o ano passado, mas, ainda assim, cheia de memórias e inspirações para o tempo que tenho passado em casa. E você, também alimenta uma pastinha com lembranças e retratos especiais?


Ao final desse post eu selecionei algumas joias inspiradas em texturas, cores e detalhes dessas referências que carrego comigo e quis compartilhar com você.


#weethings


Talita




minha seleção de peças para esse frames WEE:



  • WEE


Criar é sempre se surpreender, pelo menos para nós, já que não seguimos sempre uma mesma "receita". Algumas coleções surgem quando resgatamos nossos repertórios, sejam eles conhecimentos adquiridos em determinados temas como as cidades e suas construções, sua arquitetura, sejam eles experiências vividas em determinada viagem, com acesso a uma cultura diferente. Outras coleções aparecem junto a pesquisa e descoberta de determinado assunto até então pouco explorado ou até desconhecido por nós como, por exemplo, um movimento artístico, mitologias, temas lúdicos e de um universo diferente daquele que estamos habituados a presenciar em nossa rotina.


Um dos grandes mestres da nossa área de formação, Paulo Mendes da Rocha, já citou que criar envolve o nosso conhecimento junto ao que está em nosso inconsciente. O que realmente surge para nós quando criamos uma coleção envolvendo motivos, causas, objetivos.


Repertório, vivência, pesquisa... Na realidade criar é um constante aprendizado.


Com isso, nós gostaríamos de expressar como foi enriquecedor criar e desenvolver a coleção Melting Stones. É verdade que nos aventuramos bastante, procurarmos nos expressar de uma forma até então desconhecida por nós mesmos. O resultado é sempre a soma de tudo que já foi citado aqui e também um pouco mais. Vemos uma coleção crescer de forma natural, quase que ganhando vida por si só, sem que seja preciso incluir novos elementos ou criar novas narrativas. Se uma joia ganha novos olhares, novas formas, novas personalidades é porque, de alguma forma, ela uniu diferentes repertórios. Nossos e também de todos vocês, que identificam suas próprias experiências e adicionam à nossa vivência um pouco do universo único de cada um. Assim foi a renovação do Claude, uma nova face de si mesmo, múltiplo.



Vinícius

#weethings




  • WEE



Organizando os álbuns de fotos, me dei conta que a paixão por sombras é antiga. E é realmente muito lindo, não? As sombras nascem com o sol e imprimem poesia, se moldam em superfícies e desenham imagens com raios de sol. São detalhes que as vezes passam despercebidos, mas que são fascinantes.

Compartilho aqui alguns #frameswee de sombras que tem me encantado ao longo dos anos. Aliás, esses lugares me encantaram demais e sempre valem uma revisita. Com certeza você também tem memórias afetivas relacionadas a luz e sombra, não? Te convido então a relembrar e revisitar visualmente esses tranquilos momentos, uma pausa para mente.


Talita

#weethings