top of page

Miragem, capítulo II: Halo

Se o primeiro capítulo do acervo Miragem teve uma abordagem lúdica, que introduzia os conceitos ópticos de espelhismo e brincava com uma cenário imaginário (se você ainda não leu o primeiro texto: leia aqui), nosso segundo capítulo explorou efeitos e visuais bastante fiéis à realidade.


Halo em tradução livre do inglês significa auréola, qualquer círculo luminoso ao redor de um objeto. No nosso caso esse objeto é a grande estrela de nosso sistema solar: o Sol. Esse fenômeno de Miragem chamado Halo consiste na presença de um grande círculo luminoso ao redor do Sol, geralmente em dias muito quentes, que por vezes se assemelha a um arco íris. Essa áurea é fruto de refrações da luz solar, em resumo quando nuvens formam-se a determinada altitude, os raios de luz refletem de maneira a criar esse arco colorido e luminoso, isso porque essas nuvens em específico são formadas por pequenos cristais de gelo de formato hexagonal. De forma prática podemos lembrar do prisma que recebe luz branca e reflete diversas luzes coloridas, o processo no caso dessas nuvens é o mesmo, o que gera essa visão de arco íris ou de reflexo luminoso ao redor do Sol.


Nas joias da família Halo nós transportamos esse conceito visual através de lapidações e montagens minuciosas. No centro do anel temos um citrino com lapidação espelho (a mesma dos quartzos fumês da família Oásis), que recebem lapidações em mais faces da sua base, fazendo com que a pedra ganhe, além de profundidade, mais brilho e potência de cor. Esse citrino faz aqui a função do nosso Sol amarelo, luminoso e intenso e que precisaria brilhar solto de qualquer interferência, tendo a sua volta o arco de luz. Por isso, lapidamos um cristal de rocha totalmente transparente, que se acomoda delicadamente no aro redondo e recebe o citrino em seu centro. O fundo será sempre a pele de quem veste o anel, com a sensação de que a pedra está completamente solta do restante da joia. Finalizando o desenho da Miragem, a borda dourada e polida abraça da forma mais sútil possível o cristal de rocha, transportando o arco de luz para esse desenho extremamente delicado e potente.


No anel Halo nós adicionamos uma, na verdade duas delicadezas nas laterais do aro que sustenta o topo dessa nossa Miragem. Uma safira laranja de cor intensa está presente em cada lada do aro, adicionando mais brilho para a joia e trazendo também o calor dos dias ensolarados em que esse fenômeno óptico costuma acontecer.

anel citrino, safiras e cristal de rocha da joalheria wee
anel halo



Vinícius

댓글


bottom of page